Vender

Vender

Muitas pessoas, quando ouvem a palavra “vendas” logo pensam que o tempo será tomado, ou “lá vem o vendedor chato, insistente, insensível e com certeza, desesperado em atingir sua meta”. Talvez a aversão pela palavra e pela figura do vendedor seja por este motivo.

Vender vai além de arrecadar dinheiro. Um vendedor de verdade faz a venda sutilmente, sem ser agressivo. E que fique bem claro, que aquele vendedor agressivo, que não te dá tempo de pensar e insiste na venda, está sim fazendo seu trabalho e tem público que prefira e se identifica com esse perfil.

Falando especificamente sobre os psicólogos, sei que há um código de ética, extremamente rigoroso e muito claro no que não se pode fazer. O ponto é que a venda, como citei anteriormente, vai muito além de arrecadar dinheiro. Algumas pessoas, entram no mercado de vendas, pois veem ali uma maneira de driblar o desemprego e acabam “sujando” a classe.

Os psicólogos estão se vendendo toda sessão, a cada atendimento. Seu comportamento, sua simpatia e empatia vai determinar se seu paciente voltará na próxima sessão, se sua palestra estará lotada, se seu workshop venderá todas as vagas. ISSO É VENDA. Parece que não, mas sim! isso é uma venda. O Psicólogo se vende a todo momento. Por mais que seja estranho e difícil de aceitar: sua sessão de atendimento, seu e-book, sua palestra te vende.

Aceita, que dói menos 🙂

A imagem do vendedor ainda é muito turva na sociedade, mas é bom lembrar a importância de vender. E vamos olhar de forma diferente para esse verbo de tanta força, mas que inspira desconfiança, que carrega o fardo de insistência, e outras coisas muito negativas, será que o benefício que a pessoa ou o paciente receberá com seu “produto” não é mais reconfortante que pensarmos em algo negativo que o verbo “vender” traz?

Seu público precisa se sentir confortável com seu conteúdo, com sua sessão, com sua palestra senão a sua venda será feita apenas uma vez, o ideal é que ele se conecte e a partir daí, manter seu cliente é muito mais difícil do que conquistar um cliente novo. É muito comum, hoje, a pessoa despertar o interesse por seu trabalho e se conectar, e ao longo de seu trajeto seu “produto” perder qualidade, pois você sente que está tudo certo, que já tem aquele público cativado. E não é bem assim.

Vender é uma arte. E é constância, treino. As primeiras vezes será bem estranho. E foi assim comigo. Foi uma catástrofe! Levei semanas para me sentir confortável com aquela nova função. Eu tinha medo de receber um não, de levar o telefone na cara… mas estava tudo em minha cabeça! E aos poucos fui perdendo o medo e passei a me posicionar de forma segura em vendas, e isso não significa que eu feche todas as vendas que me proponho, a conversão é muito relativa.

A parte mais legal é que eu enfrento cada venda, cada ligação, cada visita, cada cliente presencial como meu melhor desafio. Se eu tenho segurança no meu produto, se eu sei que aquele serviço vai beneficiar pessoas ou que pode ajudar alguém a se melhorar, ou trará bem estar, qual o medo? Qual a chance de dar errado?

É preciso olhar com calma e muito carinho para que a auto sabotagem não impere em seu momento de entregar sua venda.

Vender é uma arte e deve ser encarada como algo positivo, tem que fazer seus olhos brilharem e lembre-se: se você não acredita em seu produto, ninguém vai acreditar.

Seja firme, tenha segurança ao falar, e PRINCIPALMENTE: escute seu cliente. Como assim, Mabel? Escutar o cliente? O que isso tem a ver com o meu produto, devo fazer uma sessão de terapia? De forma alguma! Você precisa ouvi-lo para que no momento da conversão, da venda em si, o que o seu cliente falar poderá ser usado em seu favor na venda. Vai ser sua carta na manga.

A argumentação poderá ser estruturada neste momento,sempre lembrando que a sutileza está nos detalhes e aí você converte o cliente à venda sem que ele se sinta pressionado, sem que aquele pensamento de vendedor chato, insistente fique evidente.

Vender é uma arte e isso acontece com muito treino e perseverança.

Pense sempre que as pessoas que estão em contato com seu produto serão beneficiadas e muito mais felizes.

Você é a ferramenta que vai viabilizar isso ao seu cliente. Então tenha essa certeza em seu coração. Crie oportunidades, gere bons contatos e crie laços com seu público de forma que quando eles precisem de algo, você seja sempre a primeira opção.

—- Texto de Mabel Rodrigues, parceira de Psicólogos in company na área de vendas. —-

Deixe seus comentários.

Desta vez receba um abraço da Mabel, da Bia e do Fernando!

By |2018-01-15T09:32:12+00:00janeiro 3rd, 2018|conhecimento|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site usa cookies e serviços de terceiros. Ok
%d blogueiros gostam disto: